"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

11.3.09

Um pouco de conhecimento vale a pena..

Estava eu a esperar uma nobre senhora a decidir sua vida..quando me deparei com uma vontade de obter alguns segundos sequer que fossem de conhecimentos..nem que fossem por poucos, eu estava decidida a pensar..Encontrei em minha frente, alguns artigos, li muitos, mais o que me chamou a atenção..foi um artigo que dizia sobre uma dúvida da linguagem escrita: "risco de vida ou risco de morte" qual seria o correto..várias pessoas não sabem como escrever ou mesmo falar essa expressão..gloriosamente, me vi atenta a detalhes que iriam passar despercebidos, mas valeu a pena. A expressão correta é risco de vida, pois só devemos utilizar risco de morte, quando houver uma adjetivação futura na frase, por exemplo: "risco de morte por hemorragia", "risco de morte por afogamento." Quando nos atemos a risco de vida, utilizamos uma figura da língua portuguesa denominada elipse, que por sinal exclui a palavra "perder", dessa forma pode se subentender como "risco de perder a vida","correndo o risco de perder a vida". Várias expressões são escritas de uma forma, por exemplo: "enfiar o sapato no pé", não significa que teriamos que abrir o pé em uma cirurgia e colocar o sapato dentro dele, entendemos como colocar dentro do sapato o nosso pé, outro exemplo é "tirar a pressão", não significa no entanto, que vamos "retirar a pressão" de um indivíduo e matá-lo consequentemente, refere-se a medir a pressão, auferir a pressão da pessoa em questão. Dessa forma, vai ai um alerta para que sempre tenhamos um dicionário a nossa disposição, para que se evite essas falhas, embora seja costume usarmos expressões assim, para que um dia elas não nos"deixem de calças curtas"...

Nenhum comentário: