"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

9.6.09

Foi apenas um sonho..
algo no meio de uma multidão..
um pássaro ferido..
e perdido em plena e humilde estação..

foram versos proclamados..
apenas desastre,
exército causou..
não havia mais reação..
foi a mais digna extradição..

incompreensão, não poderia disfarçar..
as evidentes marcas de um sinônimo..amar
foi apenas erro ou nada assim..
uma atenção jogada ao lixo..
como uma sacola estendida ao chão..

que o vento traz e leva ao seu bem querer..
não poderia, não era, não sabia..
que tudo não passava de uma perfeita ironia..
sabedoria de poucos..

adversa..
nada como a vida e as horas a passar..
para que tudo vá..
se renove..
como tudo que há de se ficar..

não há mais possibilidades.
do que se fez receio
desta perfeita ironia
do viver, creio..

Nenhum comentário: