"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

10.7.09

No fim tu hás de ver que as coisas mais leves são as únicas
que o vento não conseguiu levar:

um estribilho antigo
um carinho no momento preciso
o folhear de um livro de poemas
o cheiro que tinha um dia o próprio vento...

Mário Quintana

2 comentários:

Priscila Rôde disse...

O Mário Quintana é ótimo, bela escolha!

Lídia Borges disse...

Mário Quintana, o poeta das coisas simples, a simplicidade das coisas belas.

Obrigada!

Um beijo