"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

9.8.09

Nada abala a fortaleza, nem raios nem trovões, nem chuvas nem verões..

As palavras se misturam em constantes aspirações de luz
luz que se misturam ao brilho e reflexo do espelho
já tão fechado e escuro pela noite
os lampejos dos trovões enchem de perplexidade
mais nada sabe lá por acontecer
tudo em seu porque, haverá de ser
nestes destinos absurdos
nestes confusos insultos
as horas chocam sem parar
mais a crua realidade se antecipa
as paredes verificam que o tempo corre
o relógio já marca altas horas
amanhã será um novo dia
mesmo que a chuva hoje tampe o céu
a luz voltará amanhã mais forte
mais firme
em mais luz do que se viu raiar..

Nenhum comentário: