"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

28.11.09

Casa Vazia


Naquela lembrança

Guardo todas as minhas histórias

Era uma casa fria

Tarde dia

Tudo parecia reinar

Todas as flores a desabrochar

Todos os sóis se escondiam do acordar

Mais era a minha tarde

O meu dia, que existia sem cessar

Naquela casa onde minha vida era

Casa vazia, solidão,

Mais cheia de sensação

Era frágil, rodeada de sonhos

Em todo o quintal havia um lugar

Um canto para sonhar

Não se poderia perder um minuto

O tempo era precioso

Suas árvores respiravam sonhos

E teus frutos, imaginação

Mais apesar de tudo, naquela casa

Não havia presença

Só ilusão

Um dia a luz resolveu penetrar, as janelas, as portas..

Os olhos não queriam enxergar, mais não podiam, estavam vendados pelo frio,

Pelo escuro do ar

Mais o brilho intercedeu naquele instante

E sem licença, veio para ficar

Enchendo o vazio de cor

De som, de sabor...

Cessava-se o frio..

Completava-se com

Calor..

Nenhum comentário: