"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

26.1.10

A Razão


Bom, aqui dentro estava faltando ar
resolvi então caminhar
para ver se o tempo me dizia
o que eu precisava encontrar

Olhei aquele banco e decidi por ali ficar
fiquei observando o brilho do luar
naquele escuro cortante
não podia nem ao menos disfarçar

Minhas memórias ao longe se dissipavam
como água a jorrar no espaço
me conduziam sem abraço
eu ainda estava sem ar

Naquele instante eu me vi só
com memórias nas mãos
um coração a pulsar
em busca de alguma razão para assim estar..

Palavras em vão


"Não é só a razão, mas também a nossa consciência, que se submetem ao nosso instinto mais forte[..]." Friedrich Nietzsche

8 comentários:

Thomas Albuquerque disse...

O ar as vezes também me falta...
Preciso caminhar..quem saiba asim eu não encontre minhas razões....? rsrs

tudo é possível Ju...


beeijos

Jess disse...

E então... às vezes quando a gente sai para pensar é que a gente se vê mais preso ainda. É uma armadilha... uma armadilha necessária.

Carlos Augusto Matos disse...

Gosto tanto de correr, nessas horas muitas coisas vem na mente... Me fazendo voar...

LUCIMAR SIMON disse...

Disfarçar porque? Se es neste momento que poeticamente estamos crescendo, amadurecendo, respirando o ar da magnitude da esponjosa mãe natureza.

São as memórias que nos levam a flutuar e desvendar erros matemáticos e pontuações contraventoras, são estes os momentos de superação e exaltação do eu como ser humano.


Muitos beijos

Priscila Rôde disse...

Algumas vezes buscamos por uma razão que não existe e o ar, esse passa a não existir também...

Achei linda a imagem também!


Beijo.

Mikaele Tavares disse...

Vai entender as razões do coração..

Beijos

Sandokan disse...

Às vezes é preciso abanar a árvore da existência para caírem as folhas velhas. Talvez seja por isso que eu não quero saber quem pintou o céu de azul, mas eu quero é o resto da tinta, porque nós podemos matar o tempo, mas é sempre ele que nos enterra.
Gostei muito de vir aqui visitar o teu belo espaço. No carácter, na conduta, no estilo, em todas as coisas, a simplicidade é a suprema virtude. O destino une e separa pessoas. Mas nenhuma força é tão grande para fazer esquecer pessoas, que por algum motivo um dia nos fizeram feliz!
Nunca desistas dos teus sonhos… e nunca os deixes para trás. Encontra-os, torna-os próprios e durante toda a tua vida tem muito carinho por eles e nunca os deixes partir. Necessitas de muita dedicação para realizares os teus sonhos, porque eles não se realizam por magia dado que a magia é pura ilusão – o alimento dos perdedores - que nunca te vai tirar do lugar onde te encontras.
BOA SEMANA!

Rafael Castellar das Neves disse...

Acho que vi algo assim esses dias!

Gostei muito...ainda mais do "só com memórias nas mãos..."

Muito bom, Ju!!