"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

27.2.10

Água


Senti o cheiro de terra molhada?
A luz que norteia aquela estrada
era dia, é noite, é vento que anuncia
era aurora, doce e fria..

Novamente a esperar
a entrada da noite, serena como ela
repentina, ferve em pensamentos
a atormentar a retina

Belo arco-íris que pousou neste céu
na chuva que caiu pelo azul, ao léu
foi passagem, foi instante
neblina acariciante
que pousou nos passos
nas pegadas, suavizante..

Foi irremediavelmente instantâneo
aquela vista, o sensato e estranho
do oceano nos sonhos
atraiu como réu

Todas as expressões inundavam o escuro
no pincel da imaginação, pintava-se de cinza,
a obra-prima que o Supremo
cobriu com véu
e deixou às nossas forças
o privilégio de eternizar neste pequeno pedaço de papel..

Palavras em vão

12 comentários:

Thomas Albuquerque disse...

Quando a chuva cai é pra lavar, brindar, inundar a vida com amor e paixão.

beeeijos

Júlio Castellain disse...

...
Oi, Juliana...
Sempre com letrinhas que gosto.
Beijos pra vc.
...

JRonson disse...

bem, vc tem mesmo talento para usar as palavras em poema ja vii, nao e pra qualquer um e algo .. que confesso q fico com inveja :b

muito sentimental :)

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Sempre lindo, Juliana.
Gostei muito do texto e a foto está perfeita.
bom domingo p vc

LUCIMAR SIMON disse...

O corpo em contato com a agua gera espontaneidade dos sentimentos e desejos, sentimos calores, frios e somos mesmo assim a ela atraidos, pelo minimo que vc disse cheiro, sabor, e magnitude.

beijos Juliana.

Tahiana Andrade disse...

Que leitura gostosa!

Amei!

Carlos Augusto Matos disse...

Bem, sou um homem de sorte pois li essa maravilha antes que nossos amigos acima... Cheirinho de grama molhada, molhada com essência de chuva, oh coisinha boa... Uma chuvinha de tarde, vc na varanda de sua casa, deitado numa rede, com aquela música no fundo... Nossaaaaaaaaaaaaaaaaaa que delicia... Mas venho aqui fazer u protesto linda, na verdade revelar, aqui tem um pátio enorme, lindo, mais parece um salão, mas Mami não distribuiu bem as possibilidade de pôr uma rede no pátio de casa... Aff...

Mas como sou teimoso, eu mesmo vou pôr...kkkkkkkkkkkkkkk...

Linda, perfeita sua poesia... Muito gostosa de ler... Dá aquela sensação de quero mais...Entende?

Bjuxxx minha prima

Tania Girl disse...

nossa, muito encantador.
Amei.
bjos

Graciele Gessner disse...

Juliana, o cheiro da terra molhada é tudo de bom... sou suspeita em falar sobre água, amo! Amo cachoeiras, chuvas... Ah, tudo de bom isso, lembranças boas! (rs)

Um beijo gracioso, Graciele.

Costureira de estrelas. disse...

Tem selo pra vc no Retalhos :)
beijokas =**

Fabiano Mayrink disse...

sentir o cheiro da terra molhada, que sensaçao gostosa,

gostei do trecho "Belo arco-íris que pousou neste céu
na chuva que caiu pelo azul, ao léu
foi passagem, foi instante
neblina acariciante
que pousou nos passos
nas pegadas, suavizante"

vc tem uma alma poeta ;)

abraços minha amiga!

.Dina. disse...

Quanta sinestesia!

Muito belo o texto!

^^

Beijos!