"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

18.2.10

A Tua Sentença

Por que Amor, tu és assim? Me diz?
Chama a atenção
Por onde passa
não nega chamas, nem fumaça
Seu vestido rodado
(ou) Sua calça surrada
Não tem moda
Forma e medida
Só quer se mostrar
Por onde for

Danado Amor!!

Amor, tenha modos!
Consegue nos convencer
Sobre teu sabor
Sai por ai
Transformando sentimentos
Abrasando por dentro
De cada um, sem pudor

Amor, você se aproxima
Chega de mansinho
Outras, avassalador
Parece mesmo assustador
Arranca do peito
A alma e o coração de qualquer jeito
E mostra ao outro, sem medo
O teu calor

Amor, Amor, tu não temes a cadeia?
Que serás tua sentença
Cadeia dos sentimentos
Qual será o teu juízo? ( juízo que não tem)
Traiçoeiro e Poeta Amor..
Saiba que ainda o queremos bem..

Palavras em vão


4 comentários:

Júlio Castellain disse...

...
Muito bonito o seu jeito de desenhar versos...
Bjs.
...

Flavia C. disse...

Ah o amor é danado, dá voltas e voltas e mexe com a gente, quaisquer que seja a porta de entrada.
Lindo poema, parabéns!

Carlos Augusto Matos disse...

Tem selo pra vc no meu blog

Thomas Albuquerque disse...

amor que não se mede, não se repete, simplesmente único e forte.

beeijos