"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

26.3.10

O Amanhecer em Mim

Precisava escrever, para que as forças se desdobrassem em palavras e formassem algo único na versão dos pensamentos..


Pelo avançar de um entardecer, talvez fosse melhor se esconder, mais pelas vazias ruas de uma cidade sem sentido, sem modos, sem manias, sem destino, uma música soava de algum rádio a altas horas e ainda permanecia acordado para os meus atordoados sonhos. Nada havia neste mundo, pareciam que as horas pararam de repente, só eu e meus passos novamente. Seria o compasso da lua que chegou me conduzindo a dança?

Coloquei-me a dançar, solta e livre com passos de dança suaves, leves, sem me incomodar com o tempo e motivos para parar ou mesmo para não dançar. Assim o anoitecer convicto de que trazia a lua para a minha inspiração, força e imaginação. Nas histórias que eu gritava ao alto, imaginavam-se travessias ou mesmo naquelas que aconteceram em minhas memórias, tudo bailava em meus olhos, embora o escuro perturbador ainda velava pela minha dança.

O que eu queria era ceder a noite e o dia esperar. Talvez fosse loucura, mais uma bela loucura da minha vida, naquele instante o que era preciso, sonhar com sonhos que não se tornariam realidade pela vontade que me restaria sonhar. As pedras no caminho se encontravam como se me mostrassem rumos, setas, luzes que me indicariam a vida, as flores já não tinham muita cor como antes. Bela noite que, no vão dos pensamentos, era somente o anoitecer dos meus momentos, o bailar das minhas músicas, o versar dos meus sonhos; o vento, na minha face, temporariamente inundava meu corpo de força e versatilidade. O ar parecia puramente rejuvenescedor, o dia então anunciava sua chegada.

O anoitecer era apenas uma ponte que ligava as minhas recordações e me fazia revivê-las ou mesmo viver o que ainda eu não havia sentido. Podem imaginar que o dia logo surgiu, com um nascer do sol inabalável. Aquela noite teria sido a partida para um novo eu, ela já havia dormido, as pedras que conduziam os meus passos agora brilhavam como espelho, a minha dança tinha sido pelas memórias, mais as que pensei ter esquecido, todas reviveram por um amanhecer em mim..

Palavras em vão

6 comentários:

Maldito disse...

Não sei se foram tão em vão assiM!

LUCIMAR SIMON disse...

Lembranças, desejos, vontades, como nao querer? como ficar de fora dessa emoçao que sinto quando venho a este espaço, belo poema, belo exmplo.

beijos Ju.

Carlos Augusto Matos disse...

Olha, de tudo que já li de vc, esse foi o mais belo... Sua harmonia é tão singela, e tão perfeita... Mas esperar não é loucura, é mostrar que o que sentes é real, é verdadeiro... Mas se bem que para viver um grande amor é necessário fazer uma loucura...

Bjuxxxx

Me disse...

a dança dos sonhos transformando a realidade!...
bjos Ju, ótimo sábado!

Naty Araújo disse...

A gente precisa escrever pra esvaziar um pouco o que existe dentro de nós.
E que desejos, que sonhos e quanta realidade nesse seu texto, minha querida.

Bjos

Costureira de estrelas. disse...

Lindo texto, menina Ju =)
Gostou do site que mandei?
Beijos =*