"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

25.4.10

Uma Visão


Quem sou eu, quem tu és, quem somos nós? Navegantes deste mar-vida, descobridores dos mais imprevisíveis sonhos; um "eu" que está a espera do "nós", um "nós" que se cansou de ser "eu", o que devemos retirar de todas essas idas e vindas como conclusões? Que somos fortes, espertos, sabichões, talvez o mundo precisasse de mais ingenuidade, quem sabe não precisasse da "felicidade interna bruta", exportar amor quem sabe e esse "quem sabe" que me corrói a alma; talvez amanhã e o hoje? Deixar pra depois, qual o motivo de tanta mentira, será que tudo está invertido(valores, sentimentos) ou será que se perderam no tempo, ficaram esquecidos, precisamos socorrer! Socorro seja a palavra correta, socorra a alma, o coração, o respirar, o que deixamos pra trás! Hoje parece que pisamos, sem dúvidas, sem pensar, sem redescobrir quem somos, passamos a levar tudo nas costas e não repensamos nossas formas, nossos atos, maneiras de conduzir e tratar o próximo.

Erros são humanos, quem não os teve, quem não os terá, mais acreditar no erro, errar e por várias vezes não se conscientizar! O que é isso, somos seres humanos criados a semelhança do Pai, com características próprias que nos tornam únicos e ao mesmo tempo iguais! Se soubessemos entender o perdão, a dignidade, o respeito, o ajudar, me diz, o que temos como significados para todos esses sentimentos e atos? Eles tornaram-se distantes a nós ou não, e o materialismo, o formalismo, a ignorância estão sendo adaptados e ancorados em nossas vidas como se fossem roupas que ao amanhecer vestimos para viver. O que será dos nossos filhos, netos com estes pareceres herdados por nós, o que será do medo que hoje perdeu o receio de ser, o que, me diz? Consegue me dizer, talvez essa seja uma indignação de tantos, mais como explicar tantos pensamentos de um povo, de uma sociedade que vive em busca de evolução, carregando nas costas o legado da solidão, da falta de amor ou do amor em disfarces.

Palavras que podem trazer a reflexão, mais o que somente pode mudar nossos atos, somos nós, é a nossa fé, mais me dirá: você acredita? O que é religião em um País laico? Seguimos as diferenças e as respeitamos, correspondemos às expectativas? O que devemos fazer para tudo isso mudar, o que vê nos noticiários, o que enxerga ao teu redor, o que faz ? O que julga, acaba te julgando; o que constrói, te constrói; o que destrói, te derruba!

Palavras em vão

2 comentários:

Tania Girl disse...

Olá...
Que post lindo!!
Você tem toda razão.
Só nós podemos mudar nossos atos.. lindo post!!
bjos

Mario Gioto disse...

quase uma tese antropologica!
gostei das palavras.. da analise..
deixaria a qualquer um encacudado (pensativo rs)..

bom passar por aqui ^^

beijos!