"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

16.7.10

Anestesia


Não há vontade alguma
De escrever palavras sobre o amor
A inspiração cessou
Como carvão que se queimou

Sentimento tão doado
Tão acalorado por todos
Tal amor esperançoso
Deleite em verso pomposo

As palavras agora são vazias
Não possuem rancor ou modo parecido
Foram remediadas, anestesia
Elas têm direito de viver assim..

Talvez por pouco tempo
Ou ao infinito, quem sabe tenha fim
Essas palavras tão fortes
Precisam de suporte para reviver aqui..


Palavras em vão

2 comentários:

Lídia Borges disse...

"A inspiração cessou
Como carvão que se queimou"

Acontece, mas volta, volta sempre... É só saber esperar!

Um beijo

Marcos Fabrício Araújo disse...

tempo ao tempo... o amor é uma fonte que nunca seca...

Abraços!