"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

3.7.10

Inevitável

"São apenas palavras, palavras apenas, inevitáveis.."


Tranco-me neste quarto escuro
somente a minha fala e o meu sentir se debruçam, ditam regras
a lua como sempre companheira deserta, insensata
das minhas noites sem sono e desperta
palavras distantes, por trás deste horizonte febril
se os pensamentos transpõem sonhos
talvez os sonhos venham assim..
calmos, leves, hoje eu preciso me vestir
de todas as imaginações e aspirações possíveis
para que emudeça a dor
que rebate com total convicção
e que a cada segundo se esvai
dependendo do que me faço
voar em conformidade com o transcorrer
deleitar em poesias, ditos e dias
e se cansar de toda a ilusão que rodeia
sem motivos, refrão e efeitos..
pleteiar amor e sorrisos
nesta noite fria, era o que pela janela deveria entrar..

Palavras em vão

Um comentário:

Victor Zanata (Exilados do Paraíso) disse...

É sempre na madrugada que a solidão nos visita e nos traz de volta a escrever.
Muito bom.