"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

16.8.10

08/06/2010 - Solidão


Sinto tanta falta de alguém
e não sei se há esse alguém
para preencher tamanho sentido
as vezes só, me sinto perdido
sem saber em quem me amparar
choro, desabafo com os olhos lacrados
onde devo procurar..

Sinto falta da presença
da alegria, do toque, da harmonia
do sentir pulsar o coração em sintonia
seja noite ou seja dia
parece que me falta esse alguém
procuro, algum dia o encontro
outras não sei quem..

Não vejo a casa que quero construir
os meus sonhos que quero sentir
parece um precipício que entrei
sinto falta dos olhares, das músicas
das flores, da calmaria, dos amores
de tudo que neguei por estar aqui..

Sinto-me perdido em tudo que construí
vazões do meu ser tendem a me iludir
o que fiz para ainda não te atrair para mim..
pela estrada que caminharemos, não sei
ao certo se vamos seguir, se vou a ti referir
por que não te vejo nos meus olhos,
com a força que existe tão forte em mim..

A força de te querer a todo instante
de sentir a leve brisa do pulsar, do abraçar
você mais uma vez, não está aqui..
eu escrevendo para te trazer junto o mais perto
Os dias mais difíceis é teu nome incerto que clamo,
você outra vez não aparece na esquina, nas ruas, em mim

Não sei se choro ou se me conformo por não te ter
sinto as batidas do meu coração, o frio da solidão
a falta que um amor de verdade me faz..
talvez seja mais uma ilusão da realidade um amor
que não me aparece por querer assim..

Palavras em vão

11 comentários:

Mariana Romão disse...

Esse poema diz tudo! Perfeito!
Vc tem o dom de escrever os sentimentos da forma como eles verdadeiramente são.
Bjos

Jaque ઇ‍ઉ disse...

Amiga eu acredito que essa seja a pior das solidões... Já passei por isso e é muito ruim querer alguém e não ter...

Mas um dia isso acaba :)
Beijos linda!

Tania T. disse...

"Não sei se choro ou me conformo..."


Perfeitooo!!!

bjoO

URBAN.GO disse...

As palavras ... nunca são em vão!
Elas mostram os nossos sentimentos mais escondidos, mais secretos da nossa alma, e imperceptiveis muitas vezes para nós mesmos.

Por si só elas já valem ... tudo.

Se uma imagem pode valer por mil palavras, quantas imagens vale uma simples palavra?

Bjs.

Paulinha Leite disse...

Lindo, lindo, lindo... nao tenho outra palavra pra defini-lo!
Vim te desejar uma semana repleta de sorrisos e acontecimentos bons!
Flores colorindo teu caminho e o aroma mais doce perfumando teus dias!
Luz!

Beijinhos! :)

Gabriela Furtado disse...

Acho que este foi o teu texto que mais me identifiquei.
Tal sentimento me acompanha sempre...
Muito lindo
beijos

Penedo Junior disse...

Que lindo, super sensível! Você é fascinante! Adoro o modo como escreve...
Beijo grande!

Victor Zanata (Exilados do Paraíso) disse...

É sem dúvida um sentimento angustiante, querer e não saber a quem. Mas pense por outro lado que está livre para encontrar alguém novo.
Muito bem escrito, lindo!

Carlos Augusto Matos disse...

Uma mulher tão bela como vc não pode ficar perdida na solidão... Se desprenda do amor que não deu certo, e viva a vida, devem ter milhões querendo ter uma pessoa ao lado como vc... Eu seria um se não morasse tão distante... Mas não se entregue a solidão, ela não faz bem ao coração prima...

Bjuxxxxxxxxxx

Mundo do Gê disse...

Caramba Ju!
Não vou destacar nenhum trecho, pois todos estão perfeitamente bem escritos...Tão bem escritos, que sinto o teu sentir através deles...É tbm estou assim!
Só que não sinto somente a falta de alguém, tenho sentido a falta de mim mesmo, de um cara que não tem sonhado, e que quando não sonha, não vive, apenas soma dias...É quase como se um morto andasse e respirasse, andasse sem sentir o chão e andasse sem respirar a vida que entra pelos seus pulmões...E como quero respirar vida!

Abraço Ju! Isso que nos consome,ainda haverá de passar!

Vanessa Souza Moraes disse...

Creio que a pior falta é a de nós. Mesmos.