"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

23.7.11

Atrevida



Como se brincasse com a vida
Rolasse pelo vento nas folhas das árvores
Dançasse na chuva em meio à tempestade
Falasse alto para acordar os passarinhos

Como se não soubesse a hora de parar
O sangue que fluísse nas veias fosse intensidade
Não houvesse limites aos sonhos
Corresse os riscos que os sentimentos lhe ofertassem

Fosse pela estrada sem ponto de chegada
Se lambuzasse com os chocolates derretidos
E as músicas repetidas, acalmassem
Não existisse o quase, nem o sequer, nem o mais tarde

Era para ser tudo diferente
Cada detalhe, uma sensação única, experiente
Como se ousasse ser sem hora, sem companhia
Era para ser livre, também atrevida!

Palavras em vão

4 comentários:

! Marcelo Cândido ! disse...

Incrível essa atrevida
!!!

URBAN.GO disse...

Livre e ... atrevida!
Encaixa-te bem , não é?
Mais um lindo poema, mais um obrigado por isso.Fica bem.

Sayuri Okamoto disse...

" E se..."

E tudo se baseia no "se", porque não, no "vai ser", no "serei" porque tudo não pode ser como queremos?
e sempre nos damos de frente com o "se" palavrinha tão pequena mas, pode ser destruidora de sonhos....


beijos

Evanir disse...

Estar aqui no seu blog hoje
é mais uma benção divina.
Que sua terça feira seja de
paz e realizações na sua vida.
Que o amor fassa parte não só dos seus sonhos ,
mais sim uma realização .
Ter você como amiga é muito mais
do que mereço.
È por isso que estou trazendo essa mensagem
pois não quero que você me esquesa.
Um beijo no coração pra sempre sua amiga,Evanir.