"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

10.9.11

Malandro



Sou um sujeito contemporâneo
Sujeito boa gente
Que não nega estar presente
Em uma roda de amigos

Sujeito todo descolado
Me arrisco a um jeans desbotado
Tenho a fama de conquistador
Mais só quero algo com o amor..

O meu nome é sujeito boa pinta
Não escondo minha simpatia de artista
Mas sou um sujeito normal
Que quer estar sempre bem e tal

Vou por essas ruas mostrando
O meu jeito simples de ser
A minha paz é cotidiana, e daí
Sou apenas um sujeito desses ai..

Palavras em vão

6 comentários:

Sayuri Okamoto disse...

simplesmente uma pessoa comum, e assim ele vive


Beijos e Abraços

MisteriosaMente A.A.A. disse...

Amiga, agora tu fez eu sorrir :)
Magnifico como sempre!!! e amei a imagem... ficou perfeito!

Beijinhos no teu coração lindo.

A.A.A.

Mikaele Tavares disse...

Uma pessoa do presente, adoro!!

Sempre é um encanto vim no teu blog.

Bjs

! Marcelo Cândido ! disse...

Isso dá é música heim Juliana...

URBAN.GO disse...

Oi!!!
Voltei cá no pós férias, venho assim recarregar energias para um novo recomeço.
Cá temos um músico (Rui Veloso) que tal como tu, caraterizou muito bem, essa sempre presente "personagem" quotidiana para alguns. A dele (Rui) chamava-se "Chico Fininho".
Bjs, fica bem.

Joakim Antonio disse...

Todo poeta é malandro a driblar a vida.

Concordo com o amigo acima, pode musicar :)

Abraços e ótima semana!