"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

12.12.11

Últimos versos


E por não querer mais falar de amor
Recitar o amor, dizer algo que incida
Far-se-ão versos sobre horizonte ou outra partida
Nada que se faça insistir no dilema

É preciso saber a hora de parar
A hora de realmente crucificar
Versos todos cheios de sensação
Calejados por tantos não’s

E quando tudo se definir, um dia,
A confusão, então, resolverá partir
Embora os versos já não estejam mais aqui
Talvez a luz chegue, o clarão almeje definir

Versos novamente intensos
Enfeitados de sabor e sedução
Trazendo uma verdadeira intenção
Sem distúrbios e com devoção.

Palavras em vão

3 comentários:

Eric Maffer disse...

Sem mais nem menos, sem explicar porquê nem pra quê, do nada, até mesmo em querermos, nasce uma paixão.

Tânia Lyrio disse...

E a gente só muda de de opinião .
Os sentimentos Continuam os mesmos...
Amando seu blog!

Moran, andarilho disse...

Juliana, lindos teus "Últimos Versos"... o amor deve ser vivido em plenitude, e nada há que se falar de dilemas, nem há que se calar diante de tão desmedido querer. O amor realmente deve ser devotado, sem contudo distorce-lo em toscos remedos. Bjs, Moran