"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

22.2.12

Erro Duradouro



Brincando de ser cego
Tentando apreender o ego
Evitando escrever o alfabeto
Entre palavras inteiras

Palavras que se confundem
Permanecem complexas
Embora consigam superar
As mais diversas barreiras

A estratégica é nula
O que faz o tão pouco?
Talvez seja o verso de ouro
Ou talvez o erro duradouro

Quanto custa esse tempo, pode sentir?
Com essa invasão desmedida
De palavras e saídas
Ainda há como perquirir?

Palavras em vão

9 comentários:

AquilesMarchel disse...

entre palavras que superam diversas barreiras


aprendendo que não todas...

Talita disse...

Quanto custa esse tempo, pode sentir?
Com essa invasão desmedida
De palavras e saídas
Ainda há como perquirir?

Lindo demaisss...

beijos, bom final de semana

Tânia disse...

Palavras em vão...
Lindo!

Iorgama Porcely disse...

Lembrei-me de uma música da Cássia Eller:
"palavras, apenas palavras pequenas..."

Gostei do poema :)

Fred Caju disse...

Queria saber responder a última estrofe...

Rafael Castellar das Neves disse...

Ju, você está brincando com as palavras cada vez melhor...estou gostando disso, fica muito bom!

[]s

Leone Rocha disse...

Concordo com o Rafael Castellar.

Deste teu poema só alcancei teu amor pelas palavras.

Beijos, Ju.

URBAN.GO disse...

Por vezes tenho a estranha sensação de que os nossos erros são sempre duradouros.
Demais, muito demais do que muitos eles realmente valem.
Belo trecho, fica bem.

Jorge Leandro disse...

Seremos sempre perquiridos mesmo que não se queira saber a resposta.

Estás cada vez melhor.