"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

5.2.12

Desprendido Sentimento



Desculpe renegar-lhe sentido
Não quero mais de ti falar
Deixarei em paz os passarinhos
Que se cansaram de escutar

Foram palavras desenganadas
Momentos retorcidos
Lágrimas escoradas pelos cantos
E nenhum esconderijo

Com o tempo me refiz
Aqui, já não há mais o que ressentir
Joguei tudo fora
Por que mentir?

Os dias desembaraçam nós
Estreitaram laços sem perceber
De repente, estavam completos de cor
E parti, sem guardar rancor..

Palavras em vão

12 comentários:

Tainã Almeida disse...

Os adultos vivem dizendo que a adolescência é um dos perídos mais
marcantes da vida. Mais o que o adolescente pensa disso? (sinopse do meu blog)
Acessa o meu blog?
"Blog de uma adolescente"

http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

Espero a sua visita, se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muito feliz.
Desde já obrigada, tenha uma ótima semana.
Atenciosamente Tainã Almeida.

Tânia disse...

E assim é o amor...
Adoro!Beijos

A.S. disse...

Há um momento em que as asas pedem novos voos...
Lindo o teu poema!


Beijos!
AL

Thomas Albuquerque disse...

Partir sem guardar rancor....é simplesmente essencial.

As arestas do passado confuso devem ser sempre cortadas.

beeeijos

AC disse...

Os percursos de vida são plenos disto mesmo: olhar, sentir, avaliar, partir...

Beijo :)

Meriellen disse...

Lindo... combina mt comigo... beijos

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Juliana, passei pelo seu blog, dei uma boa olhada e gostei muito. Nem vou segui-lo, vou persegui-lo.
Bjos.
Manoel.

AquilesMarchel disse...

de volta com força total a blogosfera


desde que comecei a seguir seu blog eu decidi agora que essa é sua melhor postagem ate agora..ao menos a que mais parece comigo..um bom texto que me prende tem que começar bem e sua primeira estrofe foi poderosa

mas eu gostei: Com o tempo me refiz
Aqui, já não há mais o que ressentir


copiei ok?
bjus e valeu a visita e desculpe a demora voltei com poesia tbm bjus

Lídia Borges disse...

Há adeuses que acontecem quase sem darmos por isso, ausentes que estamos a reviver passados.

Um beijo

Fernanda Brito disse...

Olá Juliana, como vai?

Estou visitando alguns blogs e encontrei o seu! Adorei aqui e já estou seguindo.

Beijocas carinhosas da...
Fe

Arnoldo Pimentel disse...

Em todo final existe um novo começo, um novo horizonte.Lindo poema, beijos

Jorge Leandro disse...

Partir sem guardar rancor, só mesmo depois de 'lágrimas escoradas pelos cantos' e 'palavras desenganadas', talvez até mais. Porque, se não arranca pedaço, nem foi de fato.