"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

31.8.14

Páginas de um Livro




Foste tão pequeno e indigno,
Leve devaneio,
Que as luzes da mente
Desnudam-o pela manhã.

Espera-se perfeição,
Não é o que devera ser,
Mas apenas resquício de um sonho
Entre tantos outros ao amanhecer.

Falsa existência que fere,
Típica de um domingo solitário,
Devaneio que vem de longe
Se faz tão perto e amargo.

Como páginas de um livro esquecido,
Que, de repente, vira um vício.
Relembrando marcos , fatos
E sentimentos já perdidos.

Palavras em vão

Um comentário:

Lídia Borges disse...


Não há "palavras em vão" que a poesia não ilumine.


Um beijo