"Escrevo: por que a escrita me faz bem, muito bem,
uma, duas, três, várias palavras, poemas, versos, textos.
Só preciso que existam palavras e elas possam me ajudar
a encontrar o vão entre os meus pensamentos e sentimentos.."Juliana Matos

6.1.15

Sina




Já está certo e imaculado.
Quando o amor atingir às veias.
Deverá avisar a poesia e suas rimas de certa sina:
Serem jogadas na areia.

Sina triste desta poesia,
Que embora contenha tanta empatia,
Carregada de sons, formas, até melodias,
Será lançada, em prol de outras rimas.

Areia que percorrerá mares distantes,
Em busca de novos doces amantes,
Céus, luas, estrelas e sonhos adormecidos,
Dispostos a estarem, um dia, bem vindos.

E quando o amor novamente chegar,
Somente os mares e os amantes poderão testemunhar,
Outras formas de poesia.
Mais uma missão, enfim, se perpetuará.

Palavras em vão

Um comentário:

Mikaele Tavares disse...

Juliana, bela poesia!
Que o amor tenha um cenário de praia. Imaginei uma cena, sério mesmo.
Abraços Mika,
Pensamentos Viajantes